Artigo

Por que as mulheres também devem ir ao urologista?

Por que as mulheres também devem ir ao urologista
Gostou do post? Vote:
0 voto(s)

Por Dra Lorena Marçalo Oliveira*

 

Em conversas informais, os principais assuntos vinculados ao urologista são o pênis e o toque retal para exame de próstata, órgãos exclusivamente masculinos. Dessa forma, por desinformação ou preconceito, cria-se uma ideia de que o urologista é o “médico do homem” e o ginecologista é o “médico da mulher”, o que não é verdade.

Mulher também deve ir ao urologista e, mais: mulher também exerce essa especialidade médica.

A atividade do médico urologista não se restringe ao tratamento das doenças do pênis e da próstata. O urologista trata um público extremamente amplo – de idosos a crianças, de ambos os sexos.

 

As enfermidades que o urologista pode tratar em mulheres são:

  • Infecções urinárias e cistites;
  • Incontinência urinária;
  • Bexiga hiperativa;
  • Cálculos renais;
  • Disfunções sexuais;
  • Dores pélvicas;
  • Prolapsos de órgãos pélvicos (“útero caído”);
  • Mal formações genitais e urinárias;
  • Doenças de transmissão sexual;
  • Gestantes com fetos com doenças urológicas;

 

Quando as mulheres devem ir ao urologista?

Comumente, o público feminino frequenta o médico para exames preventivos e rotina ginecológica. Tais atitudes conferem um efeito protetor e um acesso mais rápido aos profissionais de saúde específicos como o urologista. O que observo é que é mais comum vermos homens com diagnósticos tardios do que mulheres.

Vale informar que as mulheres devem ir ao urologista em casos de infecções urinárias de repetição (acima de duas por ano), em casos de cálculos (pedras nos rins), de incontinência urinária ou se apresentarem sintomas relacionados ao trato genito urinário.

No caso dos homens, existe a rotina para prevenção do câncer de próstata, que se inicia entre a quarta e quinta década de vida. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens – atrás apenas do câncer de pele não-melanona.

 

Espero que o artigo tenha sido útil e, se desejar, é so entrar em contato.

Até mais!

 

*Dra Lorena Marçalo Oliveira é médica urologista graduada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), especialista em Cirurgia Urológica e Uropediatria

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin