Artigo

Quando levar a criança ao urologista?

Quando levar a criança ao urologista
Gostou do post? Vote:
0 voto(s)

Por Dra Lorena Marçalo Oliveira*

 

Urologista também é médico de criança, já que muitas doenças podem afetar o sistema genito-urinário de meninos e meninas. Desta forma, consultas ao uropediatra podem fazer parte da rotina de saúde de seu filho ou de sua filha.

A consulta preventiva infantil é feita pelo pediatra e permite observar o desenvolvimento da criança e realizar o acompanhamento regular de sua saúde. Caso seja detectada alguma anormalidade, o médico pediatra pode encaminhar o paciente ao especialista em urologia infantil. Além disso, os próprios pais podem procurar um médico uropediatra para tirar suas dúvidas, em qualquer faixa etária.

 

O que faz o urologista pediátrico?

O urologista pediátrico é um médico cirurgião, portanto trata de doenças que, potencialmente, tem tratamento cirúrgico. No meu caso, sou urologista de formação, cuido de adultos e crianças, e me especializei em urologia pediátrica. Alternativamente atuam nessa mesma área os cirurgiões pediátricos que exercem a uropediatria.

 

Os principais problemas tratados pelo urologista pediátrico são:

  • Fimose (não expõe a glande ou cabeça do pênis)
  • Balanites / balanopostites (infecção da pele – prepúcio)
  • Hipospádias (canal da urina fora do lugar, mais baixo)
  • Curvaturas
  • Problemas de desenvolvimento / dúvidas sobre tamanho peniano
  • Criptorquidia / Ectopia testicular (testículos altos ou fora do saco)
  • Torções de testículos
  • Trauma testicular
  • Tumores testiculares
  • Hérnias
  • Hidrocele (líquido no saco)
  • Varicocele
  • Disfunções miccionais (perda de xixi de dia e de noite)
  • Enurese noturna (“xixi na cama”)
  • Infecções urinárias
  • Cálculos renais e ureterais
  • Doenças renais / Mal-formações
  • Tumores renais
  • Obstrução e estreitamentos ureterais (estenose de junção uretero piélica – JUP, megaureter)
  • Refluxo vesico ureteral
  • Válvulas uretrais posteriores
  • Estreitamentos uretrais
  • Mal-formações complexas genitais e perineais
  • Genitálias atípicas ou ambíguas
  • Mielomeningocele e bexiga neurogênica
  • Doenças raras como extrofia de bexiga e síndrome de “prune belly”
  • Atendimento a gestantes e bebês com problemas urológicos

 

Distúrbios urológicos podem não ser simples e a atenção com eles na infância costuma ser essencial para minimizar consequências na vida adulta.

Um exemplo de problema urológico no qual o tempo é fundamental são os testículos em posição alta, também chamados de testículos criptorquídicos. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico dessa doença, maiores as chances de correção precoce e melhor desenvolvimento testicular. Idealmente, as cirurgias para esse problema devem ocorrer entre 6 meses e 1 ano de vida, portanto a suspeita requer atenção.

Observe o seu bebê e pergunte ao seu pediatra.

A enurese noturna – ou o popular “xixi na cama” – é outro exemplo. Em crianças acima de 5 anos de idade, essa condição tem tratamento e não deve ser desprezada, pois pode persistir e ocasionar problemas de adaptação social e autoestima.

 

Consulta com o uropediatra: o melhor caminho

É possível buscar a orientação de um profissional para prevenir o desenvolvimento de doenças comuns na infância ou saber como agir mediante algumas situações. Apesar de algumas doenças urológicas infantis serem inevitáveis, o diagnóstico precoce é importante para minimizar as consequências para as crianças.

Algumas doenças crônicas começam na infância e permanecem na vida adulta, tornando ainda mais necessária a assistência constante do urologista para controlá-las e evitar que se agravem.

 

Espero que o artigo tenha sido útil e, se desejarem, é so entrar em contato.

Até mais!

 

*Dra Lorena Marçalo Oliveira é médica urologista graduada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), especialista em Cirurgia Urológica e Uropediatria

Compartilhe
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin